TAGGED POSTS / News

Novidade 2019: Serviços nas áreas de gestão, comunicação e marketing

Alguns dos nossos clientes têm ideias de negócio excelentes mas sentem-se desacompanhados em áreas que ultrapassam a operação mas que são imprescindíveis para o sucesso. Por exemplo, o fundador da HS teve a ideia de lançar uma marca de aguardente de medronho. Acreditava no projecto e sentia a necessidade do mercado. Mas uma empresa dedicada a um produto sazonal? Não podia ser. Estudo e investigação aliadas à criatividade conceberam o projecto. Depois procuraram e encontraram o financiamento necessários e vão estar no mercado em breve, impactantes e determinados. ​Este processo só foi realmente possível porque teve o apoio na elaboração de um estudo económico, de um plano de negócio, financiamento, projectos de design, gestão de imagem e implementação com gestão rigorosa, e tudo isto com a competência e comprometimento de profissionais de excelência. Depois colocamos os produtos no mercado e damos força às vendas.
CONTACTE-NOS!

Video Institucional da Upgrade Yourself

Foi com imenso entusiasmo que a Oficina de Filmes produziu este video institucional. A Upgrade Yourself fornece serviços de Coaching com PNL, personalizados, e com resultados extraordinários! Ajuda as pessoas e empresas a atingirem os seus objetivos e melhorarem os resultados através de processos de Business Coaching e Life Coaching. Distribuidora exclusiva Coaching Toolbox Portugal.
Website: Clique aqui.

Hoje o Rossio foi Alentejo

Al Stones é uma inciativa do Município de Vila Viçosa à qual se juntaram mais 6 municípios. O início das festividades deu-se em Lisboa no passado dia 28 de Julho e o evento decorrerá entre 19 e 28 de Julho de 2019, em Vila Viçosa e também nos municípios participantes.

Discos Perdidos. Brevemente perto de si!

Nuno Costa Santos, tem 39 anos e vive em Lisboa. Durante as mudanças para um novo apartamento, não consegue encontrar grande parte dos discos da sua adolescência. Ao procurá-los entre telefonemas de amigos e familiares, surge a hipótese de os ter deixado na ilha onde nasceu e onde passou a sua adolescência: São Miguel. Além de colegas de trabalho – já realizei vários conteúdos para as Produções Fictícias, inclusivé a série Melancómico (indicada pela TimeOut, 2 anos consecutivos, como Melhor Série Original Portuguesa) onde o Nuno era o protagonista e argumentista – tornámo-nos também bons amigos. Nessa altura o Nuno partilhou comigo a problemática dos discos e, num jantar decidimos que teríamos de documentar essa demanda da procura dos discos perdidos que, no fundo, não é mais que um resgate da juventude perdida. Tendo como pretexto narrativo o regresso à ilha para ir buscar os discos que por lá deixou e que simbolizam uma série de vivências partilháveis, pretendíamos partilhar uma série de histórias, suas e das pessoas com quem se iria cruzando, de forma a fazer um retrato vivo, diverso e dinâmico do crescimento na ilha de São Miguel e das mudanças – humanas, sociais, tecnológicas – que neste território têm ocorrido nos últimos 20 anos. Tendo como caminho fílmico, a procura desses discos perdidos, e como personagens principais, os amigos da juventude perdida. A música tendo um peso tão grande nas nossas juventudes, foi a inspiração para criar a estética do filme, e a sua identidade. E a cultura musical partilhada por estes amigos era tão forte e singular, que seria o alicerce que seguraria as suas amizades durante os restantes anos. Tentamos também descobrir como, numa ilha isolada no meio do Oceano Atlântico, foi possivel chegar, a música Brit-Pop alternativa dos anos 80. E é esse género musical – que surge com a cultura New Wave – que iria ser um dispositivo essencial para a maneira como iria olhar para esta aventura. Não poderia ser um documentário de testemunhos, fossem eles numa cadeira em modo entrevista, ou mesmo in loco em modo reportagem. A New Wave fazia-se sentir por uma entidade muito própria, muito rebelde, muito contra as regras instituídas, do que é arte ou cultura. Aliada a muita dinâmica, cor, ritmo, vida… Decidi que iríamos filmar este documentário como se fosse uma ficção. O leit motiv já estava lançado. O protagonista era nosso durante 24 horas por dia. E misturaríamos a beleza natural dos Açores, com a música pop muitas vezes de traços épicos, e o grafismo do action painting. Este documentário seria no todo, uma ode à New Wave. Até no seu conteúdo nostálgico, que também era muito próprio das letras desse género musical. Uma aventura e uma procura que é por um lado, física na procura dos discos, e por outro profunda – a procura e as dúvidas existenciais da juventude contra o resto da vida. E por tal, fez-me sentido que por entre os caminhos e pessoas percorridas, surgissem momentos de devaneios e procura. Daí a ideia surgida de introduzir uma voz off (que sugere um “eu” futuro e mais filosófico), e misturar certos momentos ficcionados ou ilustrativos, mas não falsos. A veracidade dos momentos de interação com os amigos e outras pessoas é total no sentido em que não são atores a interpretar um papel nem um guião escrito. Apenas tive a sensibilidade de escolher locais ou situações adequadas – após pré-entrevistas – onde o Nuno pudesse interagir com essas pessoas, possibilitando que esses mesmo locais/situações lançassem uma mensagem pretendida, de maneira a que até o menor aspeto do filme tenha um valor artístico e simbólico. Sempre com a ambição de tornar este filme um cocktail de todas as artes que compunham a cultura New Wave. Tiago P. de Carvalho

3º ENCONTRO DA APIT

cvyxj_-xgaepbkoDecorreu no CCB o 3º Encontro de produtores Independentes de Televisão.
Parabéns à Direcção da APIT por ter conseguido tornar um encontro tão interessante, conseguindo a presença de todos os players do negócio.

Na Imprensa:
Público: “Um novo sistema de benefícios fiscais de incentivo à produção de cinema”

Meios & Publicidade: ANÁLISE SWOT AO SECTOR DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS EM PORTUGAL

Dinheiro Vivo: Estudo da Associação de Produtores Independentes de Televisão traça o retrato do sector. Em 2014 a produção audiovisual faturou 324 milhões

Público: Estudar o que falta para uma indústria de produção audiovisual “a sério”

 

RTP3 e RTP Memória em sinal aberto

maxresdefaultO consenso parte da Comissão de Cultura e Comunicação e os grupos parlamentares irão fazer com que dois projetos de lei sobre o alargamento da Televisão Digital Terrestre (TDT) baixem à comissão de especialidade, sem votação.

Serão no mínimo mais dois os canais a serem transmitidos em sinal aberto no serviço de TDT: a RTP3 e a RTP Memória.

A notícia sobre a possível inclusão da RTP3, canal informativo reinventado a partir da RTP Informação já na parte final do ano transato no serviço TDT não é uma surpresa. A possibilidade tinha já sido referida por Daniel Deusdado, diretor de programadas da RTP, aquando do lançamento do “novo” canal. Daniel Deusdado referiu na altura que o novo nome do canal permitia “um novo posicionamento” caso o mesmo pudesse no futuro vir a passar em sinal aberto.

Já a RTP Memória é uma “velha” conhecida do público. Com uma das grelhas mais interessantes dos canais actualmente por cabo, a RTP Memória tem por hábito preencher a sua programação de antigos programas bem conhecidos da televisão portuguesa desde séries estrangeiras como Ficheiros Secretos‘Allo ‘Allo até às portuguesas Duarte e Companhia ou Conta-me Como Foi. Os documentários sobre figuras históricasfilmes clássicos do cinema (português e estrangeiro) são outras das suas apostas fortes (e acertadas).

Os partidos estão de acordo e quem agradece é o espectador.

Lançamento da RTP3

johnolivernartp3_02O lançamento da RTP3! A Oficina de Filmes deseja os maiores sucessos nesta aposta!

A RTP Informação vai ganhar uma nova cara já a partir desta madrugada. Passará a chamar-se RTP3 e terá uma grelha renovada, com novas apostas.

O lançamento na madrugada eleitoral não é por acaso. “É um grande momento da democracia num país e a data da implantação da república também teve algum papel nesta escolha”, disse o diretor de informação Paulo Dentinho ao Económico.

A RTP3 arranca com parcerias com vários jornais – Observador, Diário de Notícias e Jornal de Notícias – privilegiando a presença de jornalistas em estúdio, em detrimento de políticos. “Os políticos vêm à antena para serem entrevistados ou para debates, não haverá políticos avençados”, garantiu Paulo Dentinho.

Uma das novas apostas é o programa Last Week Tonight with John Oliver, produzido semanalmente pela HBO e transmitido ao domingo. Por cá, vai passar na sexta-feira seguinte, às 20 horas, na RTP3. Apesar de alguns excertos do programa serem regularmente publicados no YouTube, não há nenhum canal a transmitir o programa humorístico, de análise da atualidade, na íntegra em Portugal.

A partir da meia-noite de dia 4 de outubro, deixará de existir a RTP Informação e nasce o terceiro canal: a RTP3. Um canal com o mote “informação, informação, informação” e com 3 regras: rigor, isenção e pluralismo. A grelha incluí programas de análise informativa, desporto, investigação jornalística e debates, entre outros.

loading
×